Faixa a faixa

Faixa a Faixa | Contra-Relevo – Contra-Relevo

Do subjetivismo da arte ao surrealismo que rompe as barreiras racionais e ortodoxas de criação artística, nasce o conceito do novo álbum da dupla paulista Contra-Relevo. 

Inspirado no movimento experimental do Krautrock alemão, o duo formado por Jovem Palerosi e Caio Bosco juntou suas fontes de inspiração musical, que fogem à regra dos moldes convencionais da pista de dança, para dar vida ao projeto conjunto.

Entre o experimentalismo e as nuances jazzy do House, o Contra-Relevo fez sua estreia em março deste ano através da compilação A Compilation For Practically Everyone, da gravadora FPE Records, apresentando a calorosa La musique est sagesse, faixa que dança entre os elementos solares do Jazz House e texturas eletrônicas disruptivas.  

Para o álbum debut do Contra-Relevo – que leva como título o nome do próprio projeto – a dupla traz as referências do movimento Neoconcreto brasileiro, surgido no final da década de 50 no Rio de Janeiro, e a alusão à obra da artista plástica Lygia Clark. Somando contrastes sonoros que reafirmam as referências do Krautrock, House Music e até mesmo o Hip Hop, o álbum conta com dez faixas que serão destrinchadas pela dupla na edição do Faixa a Faixa de hoje. Acompanhe.

Grand Nucleus | Faixa que mostra o que virá pela frente em todo disco: batida Disco construída com técnicas de Hip Hop; camadas de sintetizadores e atmosfera Krautrock que remete às experimentações da banda CAN.

Superfície Modulada | Clima noturno/soturno, que mescla timbres de Soul-Jazz e as ambiências produzidas por Brian Eno e Cluster.

Flor de Aço | Faixa que traz os mesmos elementos de Superfície Modulada, mas em uma abordagem solar, contrastante, mas complementar.

Sensorial Mask | House produzido com técnicas de Hip Hop, misturando climas de Rock Progressivo, psicodélico, Pop scandinavo e early electronic. A música é o primeiro single do álbum e ganhou um videoclipe produzido por Caio Bosco.

Faca de Luz | Beat funky, baixo sintetizado, camadas de leads e bleeps para acompanhar ambiências influenciadas por NEU, Kraftwerk e Harmonia.

Metaesquema | Cosmic disco com uma cozinha influenciada por Holger Czukay e Jaki Liebezeit, aliado às ambiências organicamente sonoras da primeira fase do Kraftwerk.

Disco Zero | House com uma pitada industrial, combinando moduladores, arpegiadores, um Fender Rhodes jazzy e timbres de bateria influenciados pela Stax records.

Waves of Probability | Timbres de bateria Jazz, combinando arpegiadores e instrumentação inspirada nas experiências psicodélicas de Ash Ra Tempel.

Coluna em Fitas | Uma das faixas mais orientadas para pista nesse disco, funk inspirado novamente no trabalho do CAN e nas ambiências produzidas por Klaus Schulze.

Object Number 3 | Camadas de sintetizadores e arpegiadores, influenciado por Cluster e na música eletrônica produzida em Colônia. Uma faixa que também traz todos os elementos que aparecem no disco: ambiências psicodélicas e progressivas, camadas de sintetizadores e arpegiadores, batida Disco, técnicas de Hip Hop, timbres de Jazz, Soul e Funk.

A música conecta.

Compartilhe